Boavista  
BOAVISTA FUTEBOL CLUBE
Fundação
1903
Cidade
Porto
Presidente
João Eduardo Pinto de Loureiro
Treinador
Jaime Pacheco
Estádio
do Bessa Sec . XXI







 

Considerado por muitos o actual quarto grande clube de Portugal, o Boavistão nome pelo qual é também conhecido, alcançou o seu maior feito desportivo em 2001, ano em que se sagrou Campeão Nacional.



As origens do Boavista remontam a 1903, data em que foi fundado o “Boavista Footballers”, pela associação de um grupo de pessoas inglesas e portuguesas.

Em 1910, os portugueses desentendem-se com os britânicos devido ao dia da prática dos jogos, uma vez que, os últimos pretendiam jogar ao sábado e os portugueses ao domingo.

Para os lusitanos o sábado era dia de trabalho e como tal, não servia para a prática de jogos. Este desentendimento leva à cisão entre os dois grupos e os portugueses criam a designação actual do clube, Boavista Futebol Clube.

O equipamento da nova formação constituído por quadrados pretos e brancos, foi inspirado numa viagem efectuada a França por um dos seus presidentes, Artur Oliveira Valença, que observou uma equipa que tinha um equipamento com camisolas em Xadrez.

À semelhança do equipamento, foi escolhido um emblema com um fundo aos quadrados, que representa um escudo e uma coroa, antigo brasão da cidade do Porto.

Desde o seu inicio, a equipa do Bessa teve, até aos anos 70, um percurso que oscilou entre o primeiro, segundo e terceiro escalão do futebol português.

O seu regresso definitivo ao primeiro nível do futebol nacional aconteceu em 1969 e após três anos, em 1978, deu-se o inicio da construção do Boavistão, nome pelo qual o clube também é conhecido, quando Valentim Loureiro assumiu pela primeira vez a sua presidência.

Valentim Loureiro implementou, no Boavista, um modelo de gestão baseado na formação de atletas da casa e aquisição de jogadores desconhecidos com bom valor, vendidos posteriormente por um valor rentável.

Actualmente com 21450 sócios, o clube do Bessa é considerado por muitos como o quarto grande clube de Portugal, assumindo-se como candidato ao título nacional.

A viragem do futebol do Boavista teve como seu primeiro grande impulsionador o treinador José Maria Pedroto que, nas temporadas 1974/75 e 1975/76, conquistou a Taça de Portugal ao Benfica e Vitória de Guimarães, respectivamente.

Em 1979, os Boavisteiros voltam a estar presentes na final da Taça de Portugal para alcançar a sua 3ª vitória na prova, desta vez frente ao Sporting.

Entre as épocas de 1991/92 e 1995/96, com o técnico Manuel José, os boavisteiros afirmam-se como uma das melhores equipas do campeonato, classificando-se por quatro vezes no quarto lugar e conquistando, em 1992, a Taça de Portugal e a Supertaça Cândido de Oliveira.

No mesmo ano de 1992, o avançado Ricky, ao serviço do clube do Bessa, sagrou-se no melhor marcador do campeonato, ao obter 30 golos, conquistando assim a "Bola de Prata".

Em 1997, orientadada pelo treinador Mário Reis, a equipa do Bessa vence novamente a Taça de Portugal e a Supertaça Cândido de Oliveira, o seu percurso ascendente continua e, no mesmo ano, João Loureiro assume a presidência do clube, dando continuidade ao bom trabalho da direcção de Valentim Loureiro.

O grande momento desportivo da formação axadrezada dá-se em 2001, quando sob o comando do técnico Jaime Pacheco, vence o Campeonato Nacional de Futebol.

O Boavista tem igualmente apresentado, ao longo dos anos, bons valores provenientes das suas escolas de formação de jogadores, tal como João Vieira Pinto, Nuno Gomes e Mário Silva.

O Estádio do Bessa, inaugurado em 1912 e remodelado em 1972, tem uma capacidade para 30 000 lugares e sofreu recentemente obras de reestruturação, com o objectivo de receber três encontros da organização do EURO 2004.